quarta-feira, 21 de setembro de 2016

gadget da caixa de pesquisa do Blog sofrerá alteração

Não sei se os demais blogs também receberam esta informação, caso a resposta seja negativa vejam o que nos informa o blogger para os próximos dias:


Em 29 de setembro de 2016, o gadget da caixa de pesquisa neste blog só apresentará os resultados da pesquisa deste blog. Os resultados da pesquisa das páginas vinculadas nas suas postagens, na Web ou na lista de blogs, e os gadgets da lista de links não serão mais apresentados.

21 de Setembro - Dia do Radialista


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Precisamos diminuir o número de partidos políticos

O Brasil tem hoje 35 partidos políticos, e outros 34 estão na fila do TSE para serem criados. Muitos são apenas siglas, legendas de aluguel que, mesmo sem receberem nenhum voto, terão direito ao dinheiro do fundo partidário e à propaganda em TV e rádio . Reportagem do jornal O Tempo mostra que o Partido da Causa Operária (PCO), por exemplo, que elegeu apenas um vereador em 21 anos de existência e tem menos de 3 mil filiados, recebeu R$ 1,3 milhão do fundo partidário em 2015 (informações da assessoria do senador Álvaro Dias (PV)

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Nilso Pinz assume como acadêmico da ACANDHIS

Nilso Pinz, meu Pai, foi convidado para ser sócio da Academia Canguçuense de História (ACANDHIS) fruto de suas pesquisas pela cultura Pomerana. Momento de alegria para nossa família do reconhecimento merecido do trabalho dedicado e amoroso realizado por ele com esta importante etnia valorizando a cultura Pomerana.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Campanha busca doador compatível para o jovem Rafael

Mais uma mobilização está envolvendo um grande número de pessoas em prol da luta de um jovem crioulista. Uma campanha iniciada por família e amigos está buscando doadores compatíveis para o menino Rafael Anderson Kair Filho, menino de apenas 12 anos que sofre de leucemia e necessita de um transplante de medula óssea.

O rapaz - filho de Marcelo Alexandre e Giselle Fernanda Maidl, proprietários da Cabanha Quinta dos Ganchos, localizada em Governador Celso Ramos/SC - luta contra a doença desde o ano de 2011 e recentemente teve a descoberta da necessidade do transplante. Como as chances de compatibilidade são pequenas, Rafael conta com a colaboração e solidariedade de todos em busca de encontrar o doador certo.


Paixão que mobiliza
Admirador do mundo do cavalo e do campo, Rafael tem levado consigo essas paixões, que vão acompanhando o rapaz em sua luta. É também por isso que um grande número de pessoas ligadas ao universo equino e campeiro - como criadores da raça Crioula, investidores, artistas e competidores - tem demonstrado total apoio à causa, auxiliando na divulgação da campanha através das redes sociais.

Além disso, mais uma demonstração de carinho foi feita recentemente pela família desse jovem batalhador. Para a alegria do menino, no dia 27 de agosto, os pais adquiriram uma cota de Harmonia Temprano, cavalo que, um dia depois, se tornou Freio de Ouro.

Como ajudar?
Para fazer o teste de compatibilidade é simples, basta se dirigir ao hemocentro mais próximo - independentemente da localidade - e informar o nome completo do jovem. O procedimento é rápido e semelhante a uma retirada de sangue para exames de laboratório - já que 5 ml são suficientes.

Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea.  Caso você não seja compatível com o Rafael, o seu nome ficará registrado no Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea e você poderá auxiliar algumas das outras milhares de pessoas que aguardam pelo transplante no país.

Mais informações podem ser encontradas na fanpage da campanha: www.facebook.com/todosporumamedula

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Recebemos em Bitcoin!

Bitcoin é uma forma de dinheiro, com a diferença de ser digital e não ser emitido por nenhum governo. Para transações online, é a forma ideal de pagamento, pois é rápido, barato e seguro. É uma tecnologia inovadora. "Uma moeda de internet" como alguns definem.
A valorização do Bitcoin muda conforme a existência da moeda no mundo virtual. Atualmente 1 Bitcoin equivale a $ 602.99, aproximadamente, o que equivale a quase R$ 2 mil. Mas isso a unidade. O Bitcoin também é utilizado em frações. Por exemplo: R$ 50,00 equivalem a 0,025 Bitcoin.

Para os pagamentos basta usar o QR code da imagem ou a sequência: 
14JF8sUQXtyn7ztGm4SisAu7gJnbjB4gSg

Como nossos blogs (SLS EM FOCO, CGU EM FOCO e EM FOCO NOTÍCIAS) são independentes, aceitamos doações e pagamentos de publicidade em Bitcoins. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Setembro Amarelo: Campanha de conscientização e prevenção ao suicídio

O mês de Setembro é de conscientização e prevenção ao Suicídio, divulgue esta campanha, nos ajude a salvar vidas! 

No ano de 2015 a Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina - CFM, criou a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”, que fala sobre como abordar um paciente, explica de que forma as doenças mentais podem estar relacionadas ao suicídio, os fatores psicossociais e dados atualizados sobre o tema.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Três dias antes do prazo, polonês leiloa medalha de prata e banca cirurgia de menino com câncer

Com três dias de antecedência, o polonês Piotr Malachowski encerrou o leilão de sua medalha de prata conquistada nos Jogos Rio 2016. O segundo colocado no lançamento do disco usará o dinheiro arrecadado para pagar o tratamento de um menino de cinco anos com câncer no olho.

Segundo o próprio atleta, o motivo pela interrupção do leilão antes do prazo aconteceu por conta do montante necessário já ter sido alcançado.

Foto: Fabrice COFFRINI / AFP

A medalha de prata foi arrematada por um dos casais mais ricos da Polônia, Dominika e Sebastian Kulczyk. Até terça-feira, o lance chegava à casa dos R$ 60 mil.

Após ganhar a prata, no dia 13 de agosto, o atleta foi procurado pela mãe do garoto, que também é polonês. Na ocasião, explicando a gravidade da doença, ela disse não ter condições de custear o tratamento em Nova York. Sensibilizado, o atleta disse que tentaria fazer sua medalha atingir o valor necessário para ajudá-la.

Através de sua conta no Facebook, explicou a situação da criança e que estava tentando fazer sua medalha aumentar de valor para quem precisa.

Malachowski estava à procura de cerca de US$ 84.000 (R$ 272 mil) para que o garoto pudesse realizar a cirurgia em Nova York.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Brasileiros navegam na internet mais do que americanos

Os brasileiros estão no topo do ranking dos que mais navegam na web nos países da América do Norte. De acordo com uma pesquisa organizada pela Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), 95% dos internautas do país acessam a rede diariamente, mais do que o Canadá (84%) e os Estados Unidos ( 77%). O Brasil também está na frente na frequência de uso de televisão e no consumo de conteúdos on demand. 

O estudo, realizado no Brasil pelo Ibope Inteligência, por meio de sua unidade de pesquisas online, mostra que TV e internet são meios complementares, já que 72% da população de nove países das Américas navegam na web para buscar informações sobre algo que viram na televisão. Isso ocorre especialmente no Brasil, onde 96% dos entrevistados afirmaram fazer isso. A tendência se confirma na Colômbia (84%), Canadá (84%), EUA (73%), México (62%), Equador (41%), Panamá (38%) e Peru (37%).
O hábito de assistir TV pelo smartphone também está se tornando comum, sobretudo no Brasil, onde isso já é praticado por 29% dos participantes do levantamento, mesma proporção que nos Estados Unidos. Na média das Américas, 24% dos habitantes assistem televisão pelo smartphone. O uso é mais comum em casa (69%) e em transportes como ônibus e metrô (52%).
Quando o assunto é assistir filmes e programas de TV por meio de serviços on demand, como Netflix, o Brasil é referência. No país, 49% assistem, no mínimo, semanalmente, o que coloca o Brasil no topo do ranking, junto com os Estados Unidos. A pesquisa foi realizada em maio de 2016 e contou com a participação de 1.004 internautas.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Em campanha focada nas Olimpíadas, RSF alerta sobre perigo de ser jornalista no Brasil

Uma campanha da Organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), lançada na última quarta-feira (3/8), alerta sobre o perigo de ser jornalista no Brasil, que se tornou o segundo país da América Latina mais mortal para os profissionais de imprensa.
Segundo a EFE, a ação divulgada na véspera do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (RJ), com o lema "Algumas vitórias não merecem medalha", indica que 22 jornalistas foram mortos no Brasil, em crimes relacionados com a profissão, desde as Olimpíadas de Londres, em 2012.

De acordo com a entidade, em grande parte dos assassinatos, os profissionais cobriam ou investigavam temas relacionados com corrupção, políticas públicas e crime organizado em cidades pequenas e médias. A ONG cita ainda a violência contra jornalistas durante as manifestações de 2013 e 2014.

"A forte polarização política do país contribuiu para criar um clima de desconfiança com os jornalistas (...) insultados e agredidos pelos manifestantes que os associam com as linhas editoriais de seus meios de comunicação", observa, ao acrescentar que o país não tomou nenhuma medida para solucionar o problema.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

25 dicas para a campanha eleitoral - César Maia

1. O fracasso é certo quando se tenta agradar todo mundo. Escolha o seu lado, o seu discurso.
2. O seu adversário de votos é quem pensa como você ou se dirige ao mesmo perfil de eleitor.
3. O seu antagônico é atacado só para lhe dar nitidez.
4. Primeiro o eleitor decide em quem não se deve votar. Ajude.
5. Eleição é como lavoura. Os meios de comunicação irrigam. Mas só o contato direto semeia.
6. Candidato que se explica, perde.
7. Tenha sempre a iniciativa. Jogue com as peças “brancas”.
8. Discuta só o tema que você propôs. O tema proposto pelo adversário deve ser simples ponte para você chegar ao seu.
9. Candidato tem que se comprometer.
10. Em debates perguntar é sempre mais arriscado que responder. Na resposta você fala por último. A pergunta tem que imobilizar o adversário e impedi-lo de mudar de tema.
11. O tema honestidade é visto pelo eleitor de outra forma. O tema certo é CONFIANÇA.
12. A comunicação de campanha tem que mostrar que os valores do candidato são os mesmos do eleitor. Valores e crenças básicas são a base da campanha.
13. A linguagem do marketing político é a do marketing de valores e não do marketing comercial.
14. O eleitor vota racionalmente, embora com pouca informação. Ou seja: relaciona causa e efeito.
15. O centro é o alvo, não é o ponto de partida. Ou seja, se parte desde posições nítidas para se atingir espaços políticos de centro.
16. O voto mistura crenças e conjuntura. Esquecer quaisquer das duas é perder a eleição.
17. Não necessariamente divulgue a agenda. Só a que interessa.
18. As pesquisas mexem com o animus de campanha. E com o financiamento.
19. Não ataque diretamente. Use “ouvi falar”, “dizem”, “soube”, ou na TV locutor ou testemunhais.
20. Os ataques devem ser desconcertantes, surpreendentes. As agressões (gritos e palavras chulas) ofendem o eleitor.
21. Currículo não ganha eleição. O que ganha eleição é capacidade de desenvolver a campanha. É a campanha.
22. O eleitor vota pragmaticamente. Ele já sabe como usar as pesquisas. O voto útil é fundamental e já ocorre no primeiro turno.
23. Não ataque todas as candidaturas no primeiro turno. Você precisará de uma delas, pelo menos, no segundo turno.
24. Referência ao Impeachment de DILMA ajuda o eleitor a te localizar politicamente.
25. As Redes Sociais são muito mais fortes para o NÃO que para o SIM. 

terça-feira, 26 de julho de 2016

15 direitos que os consumidores muitas vezes não conhecem

Para esclarecer dúvidas sobre esta relação nem sempre harmoniosa entre consumidores e estabelecimentos comerciais, o Diário Gaúcho pediu ao advogado Lisandro Adames, especialista em direitos do consumidor que assina uma coluna no DG sobre o tema, para elencar alguns dos direitos que a maioria dos consumidores não sabe que tem.

Confira as orientações do especialista:

1 - Depois de pagar suas dívidas, seu nome deve estar "limpo" em até cinco dias


Foto: Arte DG / Arte DG
Após o pagamento das contas atrasadas, o consumidor deve ter seu nome retirado dos órgãos de proteção ao crédito em, no máximo, cinco dias. Se isso não acontecer, procure o Procon da sua cidade. Se não adiantar, ingresse no Juizado Especial para solicitar a imediata retirada e danos materiais e morais.

2 - Ninguém é obrigado a contratar seguro de cartão de crédito

Se houver insistência ou a cobrança for constatada, ligue para a central do cartão, anote o número de protocolo e exija a retirada da cobrança do seguro. Se isso não acontecer, você pode ingressar no Juizado Especial. Mas fique atento: sempre antes de aceitar um cartão de crédito, é preciso ler o contrato, que pode estar na internet ou disponível no seu banco.

3 - Há possibilidade de trocar um produto mesmo fora do prazo de garantia

O fornecedor deve responder por defeitos de fabricação, até mesmo fora do período de garantia, quando houver algum "vício oculto". Mas o que isso significa? São aqueles defeitos que não são aparentes, como, por exemplo, uma peça de um automóvel, que só foi possível reparar a imperfeição após o uso. Se o fornecedor se negar a ressarcir esse tipo de dano, procure a Justiça.

4 - Bancos são obrigados a oferecer serviços gratuitos


Foto: Arte DG / Arte DG
Uma quantidade mínima de serviços gratuitos deve ser oferecida pelos bancos, como o fornecimento do cartão de débito, a realização de até quatro saques e duas transferências por mês, além de dois extratos e dez folhas de cheque mensais. Se fizer essa solicitação e não for atendido, o consumidor deve denunciar a instituição ao Banco Central. Se o problema persistir, é preciso levar o caso à Justiça.

5 - É possível desistir da compra de uma passagem de ônibus para outra cidade

As passagens de ônibus têm validade de um ano. Ou seja, se desistir de viajar para outra cidade no dia ou horário da passagem comprada, é preciso informar a empresa de transporte com, pelo menos, três horas de antecedência. Assim, será liberada a vaga no ônibus para que a empresa possa vendê-la e você terá o direito de escolher outra passagem no prazo de um ano.

6 - Perda da comanda não pode implicar pagamento de multa

A perda da comanda em bares, restaurantes e danceterias não pode obrigar o consumidor a pagar um valor de multa. Cada pessoa deve pagar somente o que consumiu, pois esse controle deve ser do estabelecimento. Se a multa for cobrada e o consumidor estiver impedido de sair do local, é preciso ligar para o 190 e chamar a polícia, para que a situação seja resolvida por meio de um registro de ocorrência. A outra solução é pagar o valor que o estabelecimento estipulou e exigir nota fiscal ou recibo do pagamento efetuado. Feito isso, denuncie o estabelecimento ao Procon e entre na Justiça para ser ressarcido do pagamento indevido. Nesses casos, é possível, até mesmo, cobrar danos morais.

7 - Não existe valor mínimo para compra com cartões de crédito ou débito


Foto: Arte DG / Arte DG
Se um estabelecimento comercial aceita cartões de crédito ou débito como forma de pagamento, precisa admitir o uso para qualquer valor. Se não conseguir, denuncie ao Procon.

8 - Se desistir de um curso pago antecipadamente, o dinheiro deve ser reembolsado

Se o consumidor desistir de fazer um curso antes do início das aulas, tem direito a receber o valor das mensalidades pagas antecipadamente, descontando-se uma multa de, no máximo, 10% sobre o valor pago. Caso a desistência ocorra após o começo das aulas, pode ser retido apenas o montante referente à matrícula. Se o dinheiro não for devolvido ou o cancelamento não for permitido, procure a Justiça.

9 - Taxa de 10% aos garçons não é obrigatória

O pagamento dessa taxa de 10% é facultativo. Ou seja, o consumidor pode escolher se quer pagar ou não. Caso não queira, basta pedir a retirada da cobrança na hora do pagamento da conta. Se o estabelecimento insistir em recolher essa quantia, faça denúncia ao Procon.

10 - Produtos comprados pela internet têm até sete dias para serem trocados


Foto: Arte DG / Arte DG
O consumidor tem direito de desistir de uma compra feita pela internet em até sete dias corridos após o recebimento do produto. Se o estabelecimento se negar a trocar ou devolver o dinheiro, procure a Justiça. Lembre-se de que o produto precisa estar em perfeito estado.

11 - Lojas não podem omitir informações e preços de produtos nas prateleiras

Toda loja deve expor preços e informações dos produtos nas estantes onde estão colocados. Inclusive, se houver diferença no preço parcelado, é preciso estar descrito. Se o estabelecimento não cumprir essa norma, tire uma foto e denuncie o caso ao Procon.

12 - Estabelecimentos não podem exigir consumação mínima

Ninguém é obrigado a consumir um valor determinado pelo estabelecimento. Essa prática é considerada pela Justiça como "vantagem excessiva" aplicada contra o consumidor. Se o estabelecimento insistir na cobrança, você pode pagar e exigir que conste na nota fiscal ou recibo que o valor se refere à consumação mínima. Com isso, é possível fazer um boletim de ocorrência na Polícia Civil e ingressar em juízo para ser reparado nos danos materiais, que foi o valor pago indevidamente e em danos morais, por ter sido constrangido a pagar por valor indevido. Quando o estabelecimento estiver oferecendo um show ou concedendo um serviço especial, deve especificar o motivo da cobrança extra de forma clara e, nunca, em forma de consumação mínima.

13 - Não é permitida cobrança de multa por suspensão de serviços de tevê e internet


Foto: Arte DG / Arte DG
É possível suspender serviços de tevê por assinatura e internet uma vez por ano sem custo algum. Porém, o serviço de religação poderá ser cobrado. Mas se foi vinculada a venda de algum aparelho no contrato, pode haver tempo de fidelidade. Caso contrário, o único custo possível ao rescindir o contrato do serviço é referente ao valor da instalação e da retirada dos aparelhos que pertencem à empresa.

14 - Se uma ligação de celular cair, é possível ligar de novo sem pagar a mais por isso

Se uma ligação de celular for interrompida, você pode repeti-la em até 120 segundos. Se constatar, posteriormente, que a ligação foi cobrada, reclame no "Fale Conosco" da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), cadastrando-se no site www.anatel.gov.br.

15 - Pertences furtados de dentro do carro em um estacionamento são responsabilidade do estabelecimento

A responsabilidade por qualquer dano ocorrido dentro do estacionamento é do proprietário do local. Mesmo que tenha uma placa ou cartaz informando que não se responsabiliza por objetos deixados no interior do veículo, eles têm responsabilidade. A regra, descrita em uma súmula do Supremo Tribunal Federal, diz que "a empresa responde, perante o cliente, pela reparação de dano ou furto de veículo ocorridos em seu estacionamento". Sendo assim, se o estabelecimento não lhe ressarcir, procure a Justiça.

Como consultar os órgãos competentes:

/// O Procon tem atendimento em mais de 80 municípios gaúchos. Se você mora em alguma cidade onde existe Procon, basta ligar para o telefone local (confira a lista no site). Mas, se onde você mora não há atendimento do órgão, ligue para o Procon Estadual, no telefone (51) 3287-6200. O atendimento ocorre de segunda a sexta, das 10h às 16h. Para quem mora em Porto Alegre, também é possível fazer a reclamação pela internet, no site do Procon Municipal.

/// Para acionar o Juizado Especial, que atende casos considerados mais simples e que não necessitam, obrigatoriamente, do auxílio de um advogado, é preciso ir, presencialmente, ao fórum mais próximo. Para saber qual é o mais perto de sua casa, acesse o site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul e busque a seção "Comarcas" ou ligue para o telefone (51) 3210-6582.

/// São três as maneiras possíveis de reclamar de uma instituição financeira ao Banco Central. Uma delas é por meio do telefone 145, de segunda a sexta, das 8h às 20h. Outra é presencial. Contudo, no Estado, é possível fazer apenas em Porto Alegre, na Rua 7 de Setembro, 586, das 9h às 16h. A terceira é pela internet, no site do Banco Central.

/// Pessoas que ganham até três salários mínimos (R$ 2.640) ou estão em condição de vulnerabilidade social podem pedir auxílio à Defensoria Pública Estadual. O órgão poderá lhe ajudar com orientação jurídica e no momento de propor uma ação. Para buscar o telefone e endereço referente ao seu município, é preciso entrar no site da Defensoria e procurar a aba "Plantões e Locais de Atendimento", no lado direito da tela. Nesse espaço é possível pesquisar por cidade e também por uma Comarca específica.

Campanha CORAÇÃO AZUL - Disque 100 ou 180

Uma iniciativa de conscientização para lutar contra o tráfico de pessoas e seu impacto na sociedade.
A campanha Coração Azul busca encorajar a participação em massa e servir de inspiração para medidas que ajudem a acabar com o tráfico de pessoas.
A campanha permite que todas as pessoas demonstrem sua solidariedade com as vítimas do tráfico de pessoas, usando o Coração Azul.

E o Coração Azul?
O Coração Azul representa a tristeza das vítimas do tráfico de pessoas e nos lembra da insensibilidade daqueles que compram e vendem outros seres humanos. O uso da cor azul das Nações Unidas também demonstra o compromisso da Organização com a luta contra esse crime que atenta contra a dignidade humana.

Da mesma forma que a fita vermelha se tornou o símbolo internacional da conscientização sobre o HIV/aids, esta campanha busca fazer do Coração Azul o símbolo internacional da luta contra o tráfico de pessoas. "Vestindo" o Coração Azul, você ajuda a conscientizar sobre o tráfico de pessoas e adere à campanha para lutar contra esse crime.

Saiba mais CLICANDO AQUI

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Sonho Realizado: Aniversário Solidário

Eu tinha um sonho antigo. Fazer uma ação social em um aniversário. Graças a Deus tenho tudo que preciso. Mas, ainda assim para nossa evolução precisamos fazer o bem. E por esse motivo pedi ajuda dos amigos para que presenteado fosse com alimentos para que o meu presente final fosse poder ter condições de fazer uma doação a uma entidade assistencial. E assim foi. Confira o que foi divulgado no site Canguçu em Foco e jornais da região Sul do estado:

O Centro Promocional Madre Madalena, no bairro Vila Nova, em Canguçu, recebeu na manhã desta segunda-feira (18) doações de alimentos arrecadados durante a última semana pelo editor do site Canguçu em Foco, jornalista Augusto Pinz. A atividade fez parte do "Aniversário Solidário" do jornalista que completou 33 anos no dia 17 de julho. 
A ação consistiu em pedir doação de um quilo de alimento não perecível como presente para amigos. As doações foram entregues na Rádio Liberdade AM até dia 16 de julho. A arrecadação surpreendeu com um grande número de alimentos entregues. "Pessoas das mais variadas classes sociais, tanto da cidade quanto do interior, participaram promovendo uma ação que me deixou muito feliz. Isso me proporcionou aniversário especial e inesquecível, que Deus recompense todos que colaboraram e ajudaram a divulgar".
Além da divulgação na Rádio Liberdade AM foi importante a divulgação nas redes sociais, como facebook, por exemplo, de onde também surgiu grande colaboração.
O Centro Promocional Madre Madalena atende 60 crianças em turno inverso ao da escola e tem supervisão das Damas de Caridade. Doações de alimentos - em especial carne - e de produtos de limpeza podem ser entregues no local. O horário de atendimento é das 07h30min às 16h00. Maiores informações 3252-7582.

REPERCUTIU

Jornais Diário Popular e Tradição Regional divulgaram nossa ação. Muito Obrigado. 


sexta-feira, 15 de julho de 2016

Estudo da UCPel analisa a violência simbólica presente no Facebook

O Brasil é campeão mundial no consumo de mídias sociais. São cerca de 650 horas mensais dedicadas às redes sociais. Estudar esse novo universo, cheio de regras próprias, foi o que motivou a mestre em Linguística Aplicada do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Católica de Pelotas (PPGL/UCPel), Letícia Schinestsck, a dedicar sua atenção e estudo. E seu interesse recaiu, em especial, sobre a violência simbólica presente no Facebook.  
Conforme dados do Pew Reserarch Center, 60% dos usuários da rede apontaram já ter visto alguém ser xingado no espaço e 27% já foi xingado. Outros dados levantados por Letícia mostram que 22% dos usuários alguma vez já foram constrangidos intencionalmente e 53% presenciaram alguém sofrendo constrangimento. “Com meu estudo, quis saber de que forma as indiretas reproduzidas no Facebook podem caracterizar algum tipo de violência simbólica que ameaça a representação online dos usuários”, explica.
As páginas fictícias Olha só Kiridinha, Félix Bicha Má e Dicas Dollynho foram escolhidas devido à influência e engajamento, que podem ser medidos por número de curtidas, comentários e, em especial, compartilhamentos. “A violência simbólica na rede reproduz o valor e estigmas que já estão historicamente construídos”, comenta, ao justificar que muitas vezes essa manutenção não é consciente. “Na internet é muito forte o jogo entre palavras e imagens, e seus recursos e possibilidade são inúmeras”. 
Fixar o outro como inferior, estigmatizar um grupo e afixar rótulos são alguns dos motivos que levam usuários a compartilharem posts com mensagens: "Kirida, ou você fala mal da pessoa ou você posta foto com ela. As duas coisas fica feio"; "Por um mundo onde a sua inveja me renda dinheiro"; "Sou desses que curte uma indireta sabendo que é pra mim, só pra deixar a pessoa com mais raiva"; "Quando me sinto feio visito o Facebook das inimigas e isso me conforta"; "Para de achar que tudo é indireta para você, você é insignificante" e "Seje um skinhead da cor do pecado".    
“Quando eu realizei o trabalho, a questão das indiretas estava muito forte e acabei achando curioso que quem compartilha esse tipo de post opta por marcar amigos ao invés das pessoas a quem a mensagem se destina”, comentou. De acordo ela, que atualmente realiza seu doutorado na UCPel, o usuário que compartilha um post como os das páginas analisadas precisa ter um engajamento e identificação muito forte porque imagem e mensagem passarão a ser fixados no perfil de quem compartilhou. “O post de certa forma passa a te representar e também constrói a tua identidade na rede social”, disse. 
A representação online do selfie, ou seja, como pessoas constroem a sua personalidade dentro da rede social, também foi tratado no trabalho de dissertação. “O usuário vai dando recortes sobre determinados temas e situações que vão definindo sua personalidade”, contou. Quando alguém compartilha uma das mensagens estudadas, como “Por um mundo onde a sua inveja me renda dinheiro”, algumas das hipóteses são de que ela quer dizer que é muito boa para causar inveja, ou ainda que gostaria de ser invejada, explica a doutoranda. 

Indiretas na timeline

  Já que boa parte dos usuários que compartilha as imagens dos três perfis estudados não marca as pessoas para quem a indireta se destina, o real alvo precisa se identificar para entender a mensagem como sendo destinada a ela. “A carapuça precisa servir muito para a pessoa pensar: ‘Olha o que ela falou para/de mim'”, justifica. Conforme a pesquisadora, quando se diz de forma implícita aquilo que se pensa, acredita ou deseja, garante-se, pelo menos, maior isenção das responsabilidades sobre os conteúdos proferidos.    
No perfil Olha Só Kiridinha, por exemplo, as postagens trabalham com a legitimação do cinismo e ameaça. “Quem fala não é qualquer pessoa, é a Audrey Hepburn, uma das mulheres mais bonitas de Hollywood, um ser que aparenta ter uma narrativa superior, por ser perfeita e cutucar seus subordinados”, atenta. 
Conforme Letícia, a escolha do personagem Dollynho (representado por uma garrafa pet) associada a montagens de imagens caseiras choca pelo grotesco e reforça a violência simbólica. “Eles utilizam posts pesados com a intenção de abalar. Muitas vezes os comentários da publicação são bem piores do que o texto que acompanha a imagem”. 
Já para que o usuário entenda o perfil Félix Bicha Má, que teve início em uma novela da Rede Globo, ele precisa ter acesso a um histórico das características que o personagem apresentava. “O dono do perfil do Félix se apropria de uma cena recortada e inserida com o discurso semelhante ao do personagem da TV, mas refeita com características comuns ao espaço online”, comentou. O perfil atrai pelo humor e demonstra frequentemente que para amenizar um sentimento negativo o usuário busca outras personas para elevar o seu status. 
Para a pesquisadora, o jogo com as imagens no Facebook é muito representativo. “Se tu não souberes quem foi a Audrey Hepburn, por exemplo, a mensagem não será a mesma”, avaliou. Ao compartilhar uma imagem, o usuário se utiliza da representação do conteúdo para se autodefinir.  “Eu gostaria de ser uma pessoa importante, mas como eu vou parecer importante sem fazer coisas importantes? Eu vou lá e coloco no Face que eu sou importante e por isso me invejam, aí pareço importante”, comenta.  

Orientações de utilização

Para fazer a análise de seis publicações (sendo duas de cada um dos perfis citados acima), Letícia se utilizou da teoria Conversação Mediada por Computador (CMC), que tem a professora da UCPel e pesquisadora Raquel Recuero como uma das pensadoras. Por ser um ambiente online e não existir o contexto visual e verbal, por exemplo, novos elementos passam a ser importantes para o entendimento da mensagem. 
  “Estrutura, interação, sentido, comportamento social, comunicação multimodal são tópicos importantes para a análise que foi embasada no método chamado de Computer-Mediated Discourse Analysis”, pontua. Letícia chama a atenção sobre a necessidade da população usuária do ambiente online, e em especial às mídias socais, entenderem a dimensão da mediação. “O usuário, quando posta, acha que poucas pessoas vão visualizar, mas existe uma teoria chamada audiência invisível, isto é, um público que nos observa e que jamais teremos plena convicção de quem se trata, por mais que tenhamos alguns palpites”, informa. 
Outro ponto destacado por Letícia é o cuidado que usuários precisam ter com o algoritmo do Facebook, que aproxima pessoas com pensamentos parecidos. “Isso pode gerar a ilusão que a sua opinião é compartilhada pela maioria das pessoas”. De acordo com a pesquisadora, muitas pessoas têm dificuldades de usar as redes e acabam divulgando fotos inapropriadas ou ainda expondo de forma demasiada a sua vida sem refletir sobre o que está tornando público.  

Atuação
A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras da UCPel é integrante do grupo de Pesquisa em Mídia, Discurso e Análise de Redes Sociais (MIDIARS), sediado na Católica e coordenado pela pesquisadora e professora Raquel Recuero, também responsável pela orientação da dissertação. Ela também integra o Laboratório de Análise de Discurso (LADIC), também sediado na UCPel e coordenado pela professora da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Rebeca Recuero. Letícia ainda é professora do curso de Jornalismo da Universidade da Região da Camanha (Urcamp), onde é responsável pelas disciplinas que abordam a temática redes socais e jornalismo.