terça-feira, 27 de abril de 2010

Fotografia, sem crédito, atenta contra os direitos autorais do profissional

A 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça confirmou sentença da Comarca de Itá, que condenou o Município ao pagamento de R$ 15 mil, em indenização por danos morais, ao fotógrafo profissional Nadir Gabiatti.

Ele havia feito registros fotográficos para a Prefeitura, que, por sua vez, os reproduziu sem autorização nem referência à sua autoria, no logotipo municipal, no calendário de 2006 e no site da Prefeitura. O Poder Público alegou que as imagens pertencem ao seu acervo histórico, pois foram vendidas ou doadas pelo profissional, não subsistindo o direito autoral sobre elas.

Provas documental, testemunhal e pericial, entretanto, comprovaram a versão do profissional. O relator do processo, desembargador Luiz Cézar Medeiros, ao citar vários trechos da Lei de Direito Autoral, confirmou a responsabilidade civil, de cunho moral ou patrimonial, do infrator do direito autoral.

O magistrado comparou o acontecido à reprodução, no rádio, de uma canção sem referência ao nome do compositor, ou à apresentação de uma peça de Shakespeare sem informar seu nome. “É direito do autor ter seu nome veiculado junto à sua obra. A publicação de fotografias sem a indicação do nome do fotógrafo atenta contra os direitos autorais”, finalizou. A decisão foi unânime

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Trabalho aceito no EXPOCOM

Recentemente realizei a inscrição do meu site, Canguçu em Foco - http://www.cangucuemfoco.com.br/ - na EXPOCOM - Exposição de Comunicação - que ocorre em Maio no município de Novo Hamburgo. Para minha satisfação meu trabalho foi selecionado. A divulgação ocorreu nesta terça-feira (20). Na categoria "Intercom Jr."

Confira a carta informando a seleção:

Título do Trabalho: O Jornalismo Digital Mostrando Uma Comunidade ao Mundo
Autor(a/es): Augusto Moreira Pinz (Universidade Católica de Pelotas (UCPel))

Evento: XI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul
Coordenador(a): Luiz Ferraretto (UCS)

CARTA DE ACEITE

Temos a satisfação de informar que o trabalho acima indicado, proposto para apresentação no IJ - GT. Jornalismo foi ACEITO.

Em breve, divulgaremos em www.intercom.org.br a programação completa do Congresso, na qual você poderá conferir a data e horário da sessão em que deverá apresentar seu trabalho, bem como a lista de trabalhos aceitos. Conheça-os com antecedência para melhor participar dos debates durante o evento.

Estamos providenciando recursos multimídia para a apresentação dos trabalhos, mas recomendamos que você prepare uma versão alternativa de sua exposição, que não dependa de equipamentos, para a eventualidade de não haver tais recursos na sala onde ela ocorrer. Caso você tenha dúvidas a este respeito, contate o coordenador de seu GT.

Nós o agradecemos desde já por sua presença e contribuição acadêmica ao Congresso.
Cordialmente,
Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
Secretaria-geral.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Informações rápidas na Comunicação

Você já notou que as informações rápidas estão dominando o mercado da mídia atualmente?
Isso é parte da globalização. Os publicitários e jornalistas precisam "vender"seus produtos cada vez mais rápido, e nisso as informações precisam ser cada dia mais rápido. E o nosso ritmo de vida acaba aumentando como reflexo.
Mas se cada vez buscarmos mais informações rápidas do que informações profundas, vamos chegar onde? A demência total. Afinal, vamos ficar bitolados apenas as manchetes, aos pequenos parágrafos e buscar a informação completa, aprofundar os conceitos e acontecimentos é fundamental.
Um jornalista que tem todas as informações sobre um tema está muito mais seguro do que um jornalista que não domina um assunto. O mesmo vale para um publicitário que poderá vender um produto que conhece bem.
Hoje os cursos de comunicaçao estão cada vez mais técnicos, exigindo cada vez menos dos alunos. É, sem dúvida uma influência do mercado. " Assim cada dia estamos formando mais robôs do que profissionais", afirma o professor da universidade católica de Pelotas, Fábio, o popular "tela".

LINGUAGEM
Hoje em dia comenta-se muito que a linguagem deve ser o mais popular possível, mas, não pode ser confuindida com linguagem pobre ou vulgar, sem precisar baixar o nível. Isso tudo converge para a questão do sensacionalismo. Cada vez mais estamos vivendo a cultura do descartável, hoje em dia interessa muito mais as questões privadas do que as públicas, vale mais a anedota, o fuxico, e coisas menos importantes que deveriam estar restritas ao pessoal.
Hoje temas como economia e política não interessam tanto, mas, seria burrice dizer que estes temas não comprometem nossa vida. O que realmente deveria interessar, a coisa pública, fica discutida em ambito privado. Já  a questão privada (com quem a atriz tal saiu semana passada) domina todo o público.
E porque é assim? Porque da mais dinheiro, da mais audiência. Mas a competição tem diminuido a qualidade da mídia.

SENSACIONALISMO
Para Roland Bartes sensacionalismo a partir do momento em que a substância de uma informação nos é roubada, isso é sensacionalismo. O que significa essa informação superficial? é a carência de substâncias. Significa dizer que a partir do momento em que as pessoas nao apresentam como se deu um fato ou como um produto é feito, quando não é dito porque, como, e so nos apresentem o que, quando, onde e quem, estamos diante de uma informação sensacionalista.
Ele caracterizou como FAIT DIVERS, que seriam CAUSALIDADE (causa perturbada e causa esperada) e COINCIDÊNCIA (antítese e repetição).
A causa perturbada se dá quando um pequeno motivo ocasiona uma grande ação, ou catástrofe, ou também quando a gente recebe a informaçao mas não consegue precisar a causa. Um exemplo: Uma criança bota fogo no prédio. Acaba gerando um grande circo. É noticia um prédio incendiando mas se o motivo é uma criança ai a coisa toma outra proporção.
A Causa esperada. Exemnplo: Quando o tema, o assunto, é comum, é batido, a enfase recai sobre os personágens dramáticos (Dramatis Personae). São eles crianças, idosos e mães.
A Repetição implica em repetir a mesma informação diversas vezes. Como aquela do baton "compre baton", massificando. Mas tamém se o produto é ruim...não adianta né? Isso para a publicidade. já para o jornalismo, quando a mesma informação é dada repetidas vezes isso gera desconfiança por parte dos receptores, faz com que eles pensem em causas desconhecidas.
A Antítese é quando aproxima dois elementos diferentes como se fossem uma coisa só. Exemplo: Um político e joga a imagem dele a um ladrão, isso por parte da mídia.Na propaganda ligando a imagem de uma pessoa comum a um campeão.
Diante deste cenário quais seriam os inimigos da verdadeira informação?
A Censura, em maior ou menor grau e ela ainda persiste, a audiência, os grupos de interesse (patrocinadores, clientes, a ligação de determinada empresa com poder). Baseado nisso e vendo que não estamos livres, parece que essa liberdade que nós temos não passa de democratura, uma ditadura disfarçada de democracia.

Alternativas?
Bom senso, TV a cabo e internet? É paliativo. Não resolve o problema....

Informações da aula de Pesquisa e opinião pública do dia 20 de Abril de 2010. E agora, acabou! hehe!!

Em breve...eleições!!!

As eleições estão se aproximando e com elas um bando de candidatos que nunca vimos mais gordos ou mais magros. Aparecem cheios de sorrisos e boas intenções, idéias que podem mudar o mundo, ideologias que melhoram a vida de todos nós como em um passe de mágica. E na maioria das vezes, a gente acredita. E porque a gente acredita e depois nada acontece?
Simples! A gente esquece de cobrar depois. Nos deixamos levar pela empolgação do momento, da lábia preparada e do marketing pessoal de quem sabe vender a sua própria imagem. Mas após a eleição a nossa sensação é de que aquele novo amigo vai lembrar e fazer tudo o que prometeu, não é?
Mas é dever do cidadão cobrar dos políticos, seja o que recebeu o seu voto ou não. Eles estão lá para fiscaliar e executar as ações em prol do cidadão. Os deputados, vereadores, senadores, fiscalizam as ações do executivo, o bom uso do dinheiro público, criam as leis para regrar a ordem. Já os Prefeitos, Governadores e Presidente executam as ações para administrar o que é de todo o cidadão: O muncípio, o governo e a união.
Um grande problema existente é que cada vez que cobramos um político ele acha que estamos o ofendendo. Que tudo que ele fez até hoje foram "favores" para o cidadão. Nada disso! É Obrigação. Ele está ocupando um cargo público porque se dispos a isso e tem que arcar com o ônus e o bônus. O político acha que devemos inflar seu ego diariamente e "agradecer" por ele manter a cidade em dia. Tudo bem que bons trabalhos merecem reconhecimento, mas, são fruto das ações e do dever cumprido.
Se você ainda não tem seu candidato para as eleições pra Deputado Estadual, Federal, Senador, Governador e Presidente que se aproximam em breve, comece desde já a observar a vida dos que já sondam a possibilidade de disputar a eleição. Veja os locais que ele adminitrou, os cargos que ocupou, como anda com a justiça e como é com a comunidade. E se votar, cobre!!

domingo, 18 de abril de 2010

Um Blog...

Este blog tem o princípio de mostrar as ações de Augusto Pinz, jovem radialista e Jornalista formado na Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

Há algum tempo mantinha atualizado o blog "MrPinz", mas, acabei perdendo a motivação após criar o site CANGUÇU EM FOCO - http://www.cangucuemfoco.com.br/ - ao qual reservo grande parte do meu dia e é onde coloco várias postagens relativas a notícias e informação.

Fato é que a verdadeira função de um blog, ser um diário, eu não estava fazendo, por isso, este blog com meu nome vem para ser meu diário virtual.