sábado, 29 de dezembro de 2012

Da euforia ao pessimismo


Nem assumiram os novos prefeitos e já é possível notar que todo o clima de euforia pela eleição começa a dar lugar as críticas e pessimismo, principalmente nos locais onde ocorreu mudança administrativa por prefeitos que não podiam mais disputar reeleição, ou ainda, em locais com mudanças radicais nos rumos de condução das cidades.
Vou usar o caso de Canguçu, minha terra, para exemplo. Aqui venceu Gérson Cardoso Nunes (PT). Políticos antigos projetavam como impossível uma vitória Petista em reduto progressista (PP) e que dividia os holofotes com o PMDB que também administrou alguns períodos do município.

A sede de mudança era geral.O partido que governava estava lá durante 26 anos dos últimos 30 - os outros quatro uma administração do PMDB - o que levou a população - principalmente da zona urbana - a buscar uma cara nova e encontraram em Gerson, do PT, esta cara diferente, uma mudança ao estilo do slogan da campanha dele "Para Mudar de Verdade". Com ele pequenos partidos dentro do município - PDT, PSB e PRB. A vitória trouxe um clima de euforia que tomou conta das ruas da cidade. Gente comemorando, gritando, provocando quem sai agora da administração. Era o êxtase.
Passado o clima de disputa eleitoral ficou a expectativa de muitas mudanças, novos nomes nas secretarias e cargos em comissão, a possibilidade de se fazer a mudança de verdade. Mas antes mesmo disso começar muitos, que votaram na mudança, agora começam a dizer que não sabem se ela virá. Mas como assim? Até ontem era bom e hoje é ruim? Como julgar um governo que nem começou ainda?
É muito estranho esta onda pessimista que parece se formar em pequenos grupos de conversa. Seriam adversários minando as expectativas positivas? Seria a insegurança de um novo tempo? Não sei. Mas ainda não condiz com a verdade. Afinal, é impossível julgar um governo que ainda nem começou. Julgar nomes escolhidos que ainda não mostraram o que podem render. Será preciso calma, observação, para daí sim dar uma opinião. Só resta dizer a frase que ficou famosa no governo Lula: "Deixa o homem trabalhar", daí , sim, façamos nossos julgamentos. Mas não sem antes observar e ver o que será feito a partir do dia 01 de Janeiro de 2013. Toda mudança é salutar. Muito irá se aprender, para bom ou ruim, administrativamente.
Que Deus abençoe este novo período e que quem saia ganhando sejamos nós, cidadãos, que vivemos em Canguçu. Que seja o melhor para o coletivo.

2 comentários:

  1. Cabe a nós otimistas mudar esse quadro . Em um tempo de nova era com certeza alguns vão ficar para trás e outros vão dar uma guinada jamais vista ! Pessimistas no poder com certeza farão um ambiente pesado e difícil em nossa cidade,porém,temos que lutar,e você como jornalista e otimista,tem que continuar a batalha e levar luz para todos,do cidadão mais comum ao prefeito ! Conte comigo,sou anônimo mas um dia mostro a cara .

    ResponderExcluir
  2. Como é fantástica e ao mesmo tempo assustador a parte psicologica do ser humano:agem poucas vezes convergindo,na maioria divergindo,analizando sem ter o devido conhecimento,julgando e préjulgando como no ex. do novo comando bem antes de governar nosso municipio,na verdade acontece em todos segmentos da sociedade mas muito mais na politica,talves por medo ,desconfiança,ansiedade,discórdia por perderem a famosa teta ou nao a coseguirem.Toda esta inconsequoencia é a falta de cultura e educaçao e isso nao se consegue da noite para o dia,por tanto tenho plena certeza de que 6 vereadores (1 para cidade e 5 para os distritos)seria o suficiente em que no custo/benefício nao sobraria sòmente 200 mil (de 2012)mas muito mais ,para muitas obras extras,eu sei que 7% sao de direito mas nao obrigatório pois é verba do bolso do povo.

    ResponderExcluir

Sua opinião sobre os textos e fatos divulgados no blog são muito importantes, por isso, serão analisadas e posteriormente, se estiverem de acordo com os temas, liberadas.
Forte abraço!!!