sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Previsões para 2016 no programa Papo Vip


O programa "Papo Vip", da Rede Brasil de Televisão, apresentado por Amanda Françozo, trouxe para os telespectadores diversos espiritualistas para desvendar o que acontecerá em 2016 no Brasil. O programa foi ao ar nesta segunda-feira (14). Estiveram presentes a tarôloga Ana Carvalho - que também faz previsões com oráculo das agulhas, o tarôlogo Dorian Martins e o Presidente do Centro Cultural Africano no Brasil Otumba Adekunle.
As previsões mantiveram o trivial de todos os programas de TV: Um artista famoso vai morrer, perdas no esporte, como será o ano de fulano e beltrano.
Os destaques ficaram para as previsões em relação a presidenta Dilma (PT). Foram unânimes em dizer que as manifestações não farão com que ela renuncie. Porém ela poderá, sim, se afastar da Presidência por conta de problemas de saúde. Dilma já enfrentou um câncer (linfoma) antes de sua primeira eleição. Um dos astrólogos chegou a dizer que sairia em Fevereiro de 2016.
Segundo Ana Carvalho um esportista famoso Brasileiro irá nos deixar. Seria um atleta que não está mais na atividade e ela aprofundou ainda mais: Seria um jogador (ou ex) de basquete.

Para Xuxa o tarôlogo Dorian disse que apesar de ser uma pessoa iluminada e brilhante, segundo tarot, ela passará por mudanças em seu programa impostas pela Record o que a deixará insatisfeita. 
O Rei Roberto Carlos - segundo oráculo das agulhas - ele terá problemas de saúde no meio do ano  de 2016 para a frente seria um susto aos brasileiros com uma pneumonia ou parte óssea mas se recuperará. 
Para Silvio Santos a idade de 85 anos começa a pesar. Ele estaria passando pode para os filhos a administração dos negócios. Vai se dedicar as coisas pessoas.

O ano de 2016 ainda será difícil, porém o Brasileiro estará mais atento sabendo como utilizar seus ganhos para que possa ter um ano mais seguro financeiramente segundo Otumba. Para a numerologia será um ano 09 que marca recomeço e também maturidade. As pessoas vão pensar mais antes de falar e ter atitudes mais sensatas.  

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Mais de 30 mil escolas públicas brasileiras ainda não contam com acesso à Internet

Problema é maior nas escolas rurais, mas atinge também mais de 9 mil escolas urbanas. Relatório divulgado pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro - ITS -  aponta falhas de cumprimento das obrigações das teleoperadoras

O Brasil tem hoje um total aproximado de 32.434 (22%) escolas públicas que ainda não contam com qualquer tipo de conexão à Internet. Um levantamento realizado pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS)* mostra que apenas 13% das escolas rurais estão conectadas à Internet. No caso das escolas urbanas, o atendimento é maior - cerca de 80% - mas ainda há mais de 9 mil escolas localizadas em cidades que ou não possuem acesso à rede ou recebem menos internet do que têm direito a receber.

O modelo de oferta de Internet para escolas públicas brasileiras varia de acordo com o tipo da escola: rural ou urbana. As escolas urbanas são atendidas pelo Programa Banda Larga nas Escolas (PBLE) - uma iniciativa do Governo Federal para conectar as escolas públicas com banda larga através da troca de obrigações com as empresas de telefonia. Neste modelo, em troca da concessão de exploração comercial, a empresa deve garantir o fornecimento e a manutenção de banda larga para as escolas urbanas, totalizando 82 mil escolas em todo país (dados do Censo Escolar de 2014). A lei prevê que as escolas recebam banda larga de pelo menos 2Mbps ou igual à melhor conexão ofertada na região.

Mesmo cinco anos após a criação do programa, entretanto, 4,5 milhões de alunos permanecem em desvantagem, já que cerca de 9 mil escolas urbanas ainda estão em situação irregular. E, apesar da ampla cobertura do PBLE, 5.736 escolas urbanas brasileiras ainda não estão conectadas. Dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) apontam ainda que existem hoje mais 4.811 escolas que deveriam estar recebendo mais banda larga do que recebem atualmente.

Além disso, a revisão das metas do PBLE, que deveria ser semestral, não foi realizada, fazendo com que a imensa maioria das escolas apresentasse em 2014 a velocidade estabelecida como meta em 2010 -  2 Mbps. Dados da Anatel sobre o Programa Banda Larga nas Escolas apontam que, no início do ano passado, somente 1,19% das escolas recebiam conexão a partir de 8Mbps. “Cinco anos depois do prazo limite para a universalização do PBLE, há grave violação do princípio da universalidade, cujo efeito prático é o oposto do idealizado pelo programa, que é a superação das desigualdades no setor educacional, aprofundando as disparidades hoje existentes”, afirma Ronaldo Lemos, diretor do ITS.

Já para as escolas rurais, há duas possibilidades: a primeira foi estabelecida por meio de um edital aprovado em 2012 que prevê que as operadoras de celular ofereçam conexão via 4G gratuita para as todas essas escolas que atendam mais de 185 alunos. A segunda possibilidade é a conexão via satélite para escolas de áreas muito remotas.

No entanto, do total de 65.738 escolas rurais brasileiras, apenas 2.569 (3,9%) estão conectadas por satélite, com velocidades de 1 Mbps. E apesar de 35 mil escolas possuírem energia elétrica e infraestrutura de TI – tendo, portanto, condições de ser conectadas -  somente 27 mil delas são elegíveis para o atendimento das operadoras -  dada  limitação imposta pelo edital para o atendimento de escolas com mais de 185 alunos. Dessas 27 mil, atualmente, apenas 5.733 estão conectadas.

O acesso à Internet é considerado parte essencial do Direito à Educação. Existem inúmeras plataformas e aplicativos para auxiliar na aprendizagem do aluno que são gratuitos e estão disponíveis online. No entanto, grande parte dos alunos da rede pública permanece privada deste material por não possuir acesso suficiente à Internet dentro das escolas onde estudam.

Exigências

Para Ronaldo Lemos, diretor do ITS, é fundamental conectar todas as escolas urbanas e rurais. “Há uma grave violação do princípio da universalidade, aprofundando as disparidades hoje existentes. Ao expandir o acesso à informação e permitir que professores e alunos acionem diferentes fontes e aprofundem seus repertórios, democratiza-se o acesso à informação e a materiais pedagógicos de qualidade, em especial para escolas com menos recursos”, explica.

Lemos afirma ainda que mesmo que todas as escolas brasileiras fossem atendidas pelo PBLE, é preciso reavaliar a velocidade de conexão oferecida pelo Programa, pois ela é insuficiente para levar inovação para as salas de aula, além de estar muito abaixo da oferecida no resto do mundo. Enquanto outros países discutem e implementam velocidade de conexão de 50 ou 100 Mbps, o PBLE se compromete a oferecer 2 Mbps.

Entre as exigências contidas no relatório do ITS, estão a imediata notificação das empresas cujo descumprimento das obrigações já tiver sido verificado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); a conexão das escolas não conectadas por falta de infraestrutura das operadoras, aplicando sanções cabíveis em caso de descumprimento; e forte gestão junto ao FNDE para a superação destes problemas em curto prazo de tempo e o acompanhamento da conexão das escolas em até 90 dias, após superados os problemas nas escolas que realmente os têm.

* Se tiver interesse no relatório completo, entre em contato com a Assessoria de Imprensa da Fundação Lemann.

Assessoria de Imprensa Fundação Lemann – organização parceira do ITS no movimento Internet na Escola

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

5 atitudes para manter a circulação ativa

Extremidades frias, inchaço dos membros inferiores, dor, cansaço excessivo, sensação de formigamento e aparecimento de varizes podem ser sinais de má circulação. Dr. Caio Focássio, cirurgião vascular da capital paulista, conta que a circulação é responsável por transportar oxigênio e nutrição para as células dos tecidos e órgãos. Quando ocorre alguma falha nesse processo é porque acontece algum entupimento das artérias por placas de gordura ou pressão nos vasos sanguíneos. "As mudanças de hábitos simples podem ajudar a melhorar esses sintomas", explica o vascular que deixa algumas dicas: 
1.    O consumo de água diário ajuda a acelerar o funcionamento dos rins e, com isso, pode ainda diminuir o inchaço; 
2.    Evitar períodos prolongados na mesma posição - seja em pé ou sentado; 
3.    Elevar as pernas por alguns minutos depois de um dia de trabalho ajuda a melhorar o retorno venoso; 
4.    Atividades físicas como a caminhada, bicicleta ou corrida também estimulam o retorno sanguíneo; 
5.    Evitar a obesidade e manter o controle do peso diminui os riscos do aparecimento de varizes e os sintomas de inchaços das pernas.
FONTE: Dr. Caio Focássio
Cirurgião vascular formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Pós graduado em Cirurgia Endovascular pelo Hospiten – Tenrife (Espanha). Médico assistente da Cirurgia Vascular da Santa Casa de São Paulo. www.drcaio.com.br

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Dicas para se livrar do Sedentarismo

Entre os inúmeros mitos e verdades sobre a prática de atividades físicas, Willian de Freitas Pedroso (CREF: 115783-G/SP) profissional de educação física da rede Just Fit de Academias, enumerou 5 motivos para os sedentários iniciar uma atividade física  e começarem hoje mesmo a se movimentarem. Confira:
1. Meia hora por dia é suficiente para deixar de ser sedentário. Os 30 minutos podem ser contínuos ou divididos ainda em três períodos de 10 minutos cada. Encontrar uma atividade que combine com o estilo de vida individual é o que vai diminuir as chances de interrupções da rotina de treinos. 
2. Praticar atividade física regular na maioria dos dias da semana diminui o risco de desenvolver doenças no coração, pressão alta, osteoporose, diabetes e obesidade.
3. Está difícil começar a treinar, as pequenas mudanças de hábitos diários já ajudam muito como trocar elevadores por escadas, deixar o carro por um dia na semana na garagem, passear com cachorro, cuidar da limpeza da casa, lavar o carro, entre outros, já fazem o organismo entender que precisa se movimentar.
4. Duas horas de atividades anaeróbicas (musculação localizada), por semana, além dos 30 minutos de caminhada ou corrida intensa por dia melhoram significativamente o aparecimento de doenças causado pelo sedentarismo.
5. 1 minuto de atividade física intensa é compatível com 2 minutos de atividade moderada. Caminhada em ritmo acelerado pode ser uma atividade moderada. Já a corrida pode ser considerada uma atividade intensa.
6. Depois de aderir a todas as dicas acima é só colher os benefícios como: a diminuição do apetite, a melhora do humor, a perda de gordura (emagrecimento), o enrijecimento dos músculos, a melhora da imunidade e o retardo do envelhecimento.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Movimento Pela Reforma de Direitos era campanha "fake"; agora é NÃO É PRIVILÉGIO, É DIREITO!

Muita gente se revoltou e repercutiu negativamente a bandeira levantada pelo Movimento pela Reforma de Direitos: o fim dos privilégios para pessoas com deficiência.
E, mesmo assim, por que tantos ainda desrespeitam?
Essa é a discussão que nós, do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, queríamos levantar. E conseguimos.


É fundamental que a sociedade fale abertamente sobre isso: somos 24% da população, mais de 45 milhões de brasileiros com deficiência; só em Curitiba, somos mais de 300 mil pessoas com algum tipo de deficiência. SOMOS MUITOS! Somos pessoas com deficiência auditiva, visual, intelectual, deficiências múltiplas, surdez, transtorno do espectro autista e deficiências físicas. É preciso reconhecer e respeitar a nossa diversidade.
Temos alguns direitos diferentes porque temos necessidades diferentes. Eles foram conquistados para igualar as oportunidades e reduzir as desvantagens. Por exemplo:
TEMOS DIREITO A VAGA EXCLUSIVA DE ESTACIONAMENTO porque temos dificuldade de locomoção, e também para evitar riscos de acidentes que possamos causar ou sofrer.
TEMOS DIREITO A LEI DE COTAS PARA O TRABALHO, pois sem elas dificilmente seríamos contratados. Apesar das nossas competências e currículo, a sociedade ainda nos considera incapazes.
TEMOS DIREITO A ISENÇÕES E DESCONTOS porque temos despesas extras que elevam muito o nosso custo de vida. Além disso, temos menos oportunidades de trabalho e de educação.
TEMOS DIREITO A FILAS E ASSENTOS PREFERENCIAIS porque é uma questão de respeito, segurança e conforto para quem enfrenta mais dificuldades todos os dias.
TEMOS DIREITO A COTAS EM CONCURSOS PÚBLICOS porque, além dos desafios que enfrentamos para conseguir empregos, temos dificuldades também para estudar e disputar as vagas em condições iguais.
ISSO TUDO NÃO É PRIVILÉGIO. É DIREITO.
E serve para garantir a igualdade de oportunidades entre a pessoa COM e SEM deficiência.
Apesar disso, a maior barreira ainda é o desrespeito. Os nossos direitos são frequentemente ignorados, seja por falta de conhecimento ou de educação. Lembrando: discriminar pessoas com deficiência é crime previsto por lei.
Por tudo isso, não podemos ficar apenas na revolta. Vamos exigir respeito e, mais do que isso, vamos defender esses direitos.
Alie-se a esta causa, curta a página Curitiba Mais Inclusiva: www.facebook.com/sedpcd/?fref=ts