terça-feira, 25 de abril de 2017

Falta de doador compatível dificulta transplante de medula óssea

Ter entre 18 e 55 anos e boa saúde são requisitos para um possível doador. Procedimento pode beneficiar o tratamento de mais de 80 doenças do sangue

No mês destinado à conscientização e combate ao Câncer, falar sobre a doação de medula óssea é tão necessário quanto abordar a importância da detecção precoce e prevenção à doença. A doação da medula pode beneficiar o tratamento de diversos males que afetam as células do sangue, entre eles a leucemia, e o fator que mais dificulta a realização do procedimento é a falta de doador compatível, já que as chances são de um em cada 100 mil pessoas, em média.
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), existem no mundo mais de 21 milhões de doadores, sendo quatro milhões cadastrados no Brasil por meio do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).  “O candidato a doador precisa ter entre 18 e 55 anos e gozar de boa saúde. Ele deve procurar o hemocentro mais próximo de sua casa para agendar uma entrevista e coletar sangue para a verificação das características genéticas. Sempre que surgir um paciente, a compatibilidade será verificada”, explica o oncologista da Oncomed-BH, Dr. Amândio Soares.
A coleta de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico e feito sob anestesia geral. Para doar, não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. São realizadas múltiplas punções nos ossos posteriores da bacia, e retirado um volume de medula de, no máximo, 20ml por quilo, o que não causa qualquer comprometimento à saúde e é recuperado inteiramente em poucas semanas.
Para que se realize um transplante de medula é necessário que haja uma total compatibilidade entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada. Esta compatibilidade é determinada por um conjunto de genes localizados no cromossoma 6, que devem ser iguais entre doador e receptor. As chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (mesmo pai e mesma mãe) é de 25%.
 Leucemia
A leucemia é uma doença maligna dos leucócitos (glóbulos brancos), caracterizada pela proliferação anormal destas células na medula óssea, ocasionando produção insuficiente de células sanguíneas maduras normais. Quando não controlada por tratamentos convencionais, a realização do transplante passa a ser o melhor recurso terapêutico para alcançar a sua cura.
Pode ocorrer infiltração leucêmica de vários tecidos do organismo como fígado, baço, linfonodos, sistema nervoso central e outros. As leucemias são agrupadas com base no tempo de evolução (aguda ou crônica) e pelo tipos de leucócitos que proliferam ( linfóides ou mielóides).

quarta-feira, 29 de março de 2017

Dieta da Ração????

Ontem fui ao Mercado comprar um pacote de ração para o meu cachorro.
Na fila do caixa, uma moça, atrás de mim, perguntou se eu tinha cão. Fiquei olhando pra ela (os que me conhecem, já podem imaginar o meu olhar...).
Aí pensei: por que eu estaria comprando um pacote de ração, se não tivesse um cão???
Mas, por impulso, eu disse que não. Não tinha cão, e que estava começando a dieta de ração outra vez; e na verdade, nem poderia, porque eu já havia emagrecido 10 kg da última vez.
Falei que havia parado no hospital. Contei a ela que, simplesmente era a dieta perfeita e simples: a única coisa a fazer, era encher os bolsos com grãos de ração e ir comendo sempre que tivesse fome.
Confesso que todos na fila se mostraram interessados na minha história! 
A moça, bem espantada, me perguntou se a ração não poderia ter me envenenado, e por isso, eu teria parado no hospital.
Respondi: ÓBVIO que não!!!
Isso aconteceu, porque comecei a latir no portão e me acertaram com pedradas!
Pensei que o senhor que estava atrás de nós, ia ter um ataque cardíaco de tantas gargalhadas!!!
Já que você leu, tenho que confessar:
Copiei e colei este texto de um amigo, só pra te fazer SORRIR!
Se gostou, pode repassar.
Mas se for fazer a dieta da ração, compre uma de boa qualidade!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

8 dicas para utilizar as redes sociais de forma profisisonal

Muitas pessoas pensam nas redes sociais apenas como uma ferramenta para descontração, o que não está errado, desde que tomados os devidos cuidados, contudo, uma boa parcela mais antenada já percebeu que o uso adequado dessas ferramentas de comunicação pode potencializar as carreiras, promovendo o crescimento profissional e o network.

Mas, como saber esse limite? Simples, basta levar em conta que nesse novo mundo online que muitos estão descobrindo são necessários muitos cuidados similares aos que tomamos em nosso dia a dia, nos passeios, no trabalho ou em casa. O recomendável para se valorizar é dar foco adequado ao que é positivo e evitar exposições desnecessárias.

Para isso preparei algumas dicas para quem quer crescer profissionalmente utilizando as redes sociais, seja ela mais profissional, como o LinkedIn, ou mesmo o Facebook:
Amplie seus contatos qualificadamente –é interessante ter um amplo grupo de amigos, assim busque amizade online com pessoas que tenha contato e ache interessante profissionalmente. Contudo, se preocupe mais com a qualidade do que com a quantidade, não precisa ir convidando todo mundo que conhece ou que é ‘amigo do amigo’ para ser seu amigo, isso pode não soar bem!

Valorize suas conquistas profissionais –mostre ações que realizou que tiveram sucesso, resultados de projetos que foram interessantes ou titulações alcançadas, contudo, evite se autopromover demasiadamente, pois isso pode soar arrogante. E busque, com permissão prévia, marcar as pessoas que estavam envolvidas nos trabalhos, de forma elegante, pois isso aumenta sua visibilidade.

Publique com inteligência –cada vez mais se multiplicam publicações vazias, assim busque se diferencias com publicações pertinentes. Evite postes irrelevantes que possam atrapalhar sua imagem. Busque levantar assuntos relacionados ao seu campo de atuação.

Evite debates inúteis –nas redes sociais existem momentos tensos, de debates políticos, religiosos e outros similares, contudo, por mais que possa ‘coçar’, evite entrar nesse tipo de conversa. Repare que geralmente essas não levam a lugar nenhum e não terminam bem. Sem contar que você não sabe qual o posicionamento de seus parceiros de negócios

Cuidado com as características das redes –Não é por que o Linkedin tem um lado mais profissional e o Facebook é mais aberta que deverá tratar a segunda com maior desleixo, saiba que parceiros e recrutadores também entrarão nessa rede. Assim, é importante que a pessoa tome cuidado em não colocar coisas irrelevantes em cada um deles.

Pense antes de curtir uma publicação ou página – Antes de curtir e compartilhar um texto, leia atentamente para ver se não nada nas entrelinhas. E se for curtir uma página ou participar de uma comunidade, pesquise antes, evite as que que incitem o ódio ou o preconceito

Antes de escrever algo pense –Analise os pontos positivos e negativos de uma postagem. Sei que parece chato, e tira um pouco a graça dessas redes, mas essa é a única forma de garantir que o postado nas redes sociais não interferirá no lado profissional. As pessoas hoje tem acesso ao que você faz 24 horas. Por isso, preserve sua imagem. Lembrando que ser feliz não o que se está na rede mundial.

Evite situações não profissionais – multiplicam-se as fotos de baladas, roupas de banho e bebedeiras nas redes, será que é interessante. Não cabe a ninguém julgar o estilo de vida das pessoas, mas se expor de forma inadequada trará consequências negativas para imagem de um profissional. Todos estão expostos a avaliações, por isso pode ter certeza que isso contará na hora que olharem, e não adianta bloquear o acesso das pessoas as suas fotos nas redes sociais e achar com isso que está segura, ledo engano, pois outras pessoas poderão compartilhar a mesma foto, e assim de nada adiantou essa preocupação.

Celso Bazzola, consultor em recursos humanos e diretor executivo da BAZZ Estratégia e Operação de RH